DME55 - Day 2



Program

Programa


October 26 


21h - 22h

Electroacoustics & Soundscapes #3

curated by MUSLAB



Galo Duran: che mezcla (Mexico)




Biography
He does music for independent film projects, since 2002: Familia Tortuga -Ruben Imaz 2006 Axolote cinema 800 Km - León Felipe González Axolote cinema. Wadley- Matias Meyer 2008 Axolote El niño sin piernas no puede bailar - Michel Lipkes 2008 Axolote cinema El calambre - Matias Meyer 2009 Axolote cinema Ms. Pajaro- Veronique Decroux 2009 CCC Adverse Reactions -David Michan 2010 CCC Rio de Oro -Pablo Aldrete 2010 Mantarraya films Mosca -Bulmaro Osornio 2011 Axolote cinema Malaventura- Michel Lipkes 2011- Axolote cinema Mi universo en Minúscula -Hatuey Viveros 2011 CCC Los ultimos cristeros - Matias Meyer - 2011 Axolote cinema Para armar un helicóptero - Izabel Acevedo- 2011 CCC El silencio de la princesa -Manuel Cañibe- 2012 CCC Calle Lopez- Lisa Tillinger, Gerardo Barroso-2013-Axolote cinema Al final del dia - Mariana Mussalem-2013- CCC Gonzalez -Cristian Diaz-2013. 2008 and 2009 - scholarship for young composers: by the Mexican Center of Music and Sonic Music. Scholarship of Sound Visions Festival, 2008. Artistic residence in 2010, Buenos Aires, Argentina (FONCA) 2011 - Soundscape of Jamma el Fna, Marrakesh, Moroco 2012. He paticipated on the third music film laboratory that was organized by IMCINE and IBERMEDIA. He was invited to create a sound piece about Vive Latino festival, 2012. He participate on the International Film Festival in Buenos Aires, Argentina, BAFICI 2010. In 2013, he was appointmented to the Ariel Prize - Original Song.

Biografia
Faz música para projetos de filmes independentes, desde 2002:
Familia Tortuga-Ruben Imaz 2006 Axolote cine
800 Km - León Felipe González Axolote cine.
Wadley- Matias Meyer 2008 Axolote cine
El niño sin piernas no puede bailar-Michel Lipkes 2008 Axolote cine
El calambre- Matias Meyer 2009 Axolote cine
Sra. Pajaro- Veronique Decroux 2009 C.C.C
Reacciones Adversas –David Michan 2010 C.C.C
Rio de oro –Pablo Aldrete 2010 Mantarraya films
Mosca –Bulmaro Osornio 2011 Axolote cine
Malaventura- Michel Lipkes 2011- Axolote cine
Mi universo en Minúscula –Hatuey Viveros 2011 C.C.C
Los ultimos cristeros - Matias Meyer - 2011 Axolote cine
Para armar un helicóptero - Izabel Acevedo- 2011 C.C.C
El silencio de la princesa -Manuel Cañibe- 2012 C.C.C
Calle Lopez- Lisa Tillinger, Gerardo Barroso-2013-Axolote cine
Al final del dia- Mariana Mussalem-2013-C.C.C
Gonzalez -Cristian Diaz-2013.
2008 e 2009 - bolsa para jovens compositores: pelo Centro Mexicano de Música e Música Sônica. Festival de Scholarship of Sound Visions 2008. Residência artística em 2010 Buenos Aires, Argentina (FONCA) 2011 - Soundscape de Jamma el Fna, Marraquexe, Moroco 2012 Fez parte do terceiro laboratório de música cinematográfica, organizado pela IMCINE e pela IBERMEDIA. foi convidado a criar uma peça de som sobre o festival Vive Latino 2012 Participou do Festival Internacional de Cinema em Buenos Aires Argentina BAFICI 2010 e no festival internacional de cinema Rotterdam IFFR 2012 Holanda. 2013 Nomeação para um prémio Ariel - música original 

Notes
This piece was composed in 2010, FONCA artistic residency program, and it was made with children of the Buenos Aires city, Argentina. It was recorded by me during the residence course: a piece and a sound landscape that mix sounds of Falklands War’s manifestation, street musicians and a song by Caetano Veloso that I recorded in his show in Buenos Aires city.

Notas
Peça composta em 2010 graças ao programa de residência artística FONCA, e foi feito com sons da cidade de Buenos Aires, Argentina, gravado por mim durante o curso da residência, a peça é uma paisagem sonora que mistura sons que vão desde uma manifestação da guerra das Malvinas, músicos de rua, até uma canção de Caetano Veloso que gravei no seu espetáculo ao ar livre na cidade de Buenos Aires.



Franco Pellini: FORÊT (Argentina)




Biography
Franco Pellini was born in San Francisco (Córdoba, Argentina) on March 28, 1985. He graduated in Music Composition from the Faculty of Arts of the National University of Córdoba. 
He did courses, seminars and conferences with several teachers of music such as Elio Martusciello, Gonzalo Biffarella, Santiago Santero, Gerardo Gandini, Gustavo Alcaraz, Christian Clozier, Ludger Brumer, Rodrigo Sigal, Francisco Colasanto, Adrew Stewart, Josep Lluís Galiana, Gregorio Jiménez and Luigi Ceccarelli.
 His electroacoustic works were presented in Argentina, Chile, Mexico, Spain, Belgium, the Netherlands and France. He composed with Hernando Varela and Adrián Ferreyra the opera "Benjamín y Clara, the history of the broken bodies". 
In 2011, he launched his Micro-Opera Multimedia "The Shore" and in 2012/2013, he also participated as a composer in the collective production of the opera "Mirame" and "Flores y Zanahorias" developed at the Composition Seminar with the new technologies said by Gonzalo Biffarella. In 2010, he received a Special Mention in the competition for Electroacoustic Composition and Video Music of the Destellos Foundation (Mar del Plata) for his acoustic work "Fragot". 
In 2011, he received the support of FONCA CONACULTA (Mexico) and the Ministry of Culture of Argentina for residence in 2012 at the Mexican Center for Music and Sound Arts (Morelia, Michoacán). 
 In 2012, he receives a scholarship from the Ministry of Culture of Spain to carry out studies at LIEM (Center of Technologies of the Specific, Madrid). In 2014 he won the 3rd prize Luigi Russolo and obtained the Mention Rossana Maggia for innovation in the use of the human voice for his work "Forêt". 

He is the director of the degree in Music Interpretation of the Provincial University of Córdoba and is a member of the LEIM Ensamble, improvisation group + live electronic resident in the Electroacoustics and Music Computation Laboratory of the UNC-Arts Faculty.

Biografia
Franco Pellini nasceu em São Francisco (Córdoba, Argentina) a 28 de março de 1985. Graduou-se em Composição Musical pela Faculdade de Letras da Universidade Nacional de Córdoba.
Fez cursos, seminários e conferências com professores de diferentes ramos da música como Elio Martusciello, Gonzalo Biffarella, Santiago Santero, Gerardo Gandini, Gustavo Alcaraz, Christian Clozier, Ludger Brumer, Rodrigo Sigal, Francisco Colasanto, Adrew Stewart, Josep Lluís Galiana, Gregorio Jiménez e Luigi Ceccarelli.
As suas obras eletroacústicas foram apresentadas e transmitidas na Argentina, Chile, México, Espanha, Bélgica, Holanda e França.
Compôs  com Hernando Varela e Adrián Ferreyra a ópera "Benjamín y Clara, a história dos corpos quebrados". Em 2011, lançou a sua Micro-Opera Multimedia "The Shore" e em 2012/2013 participou também como compositor na produção coletiva das óperas " Mirame " e "Flores y Zanahorias" desenvolvidas no Seminário de Composição com as novas tecnologias ditadas por Gonzalo Biffarella e do qual é professor associado (FA-UNC). 
Em 2010, recebeu uma Menção Especial no concurso de Composição Electroacústica e Vídeo-Música da Fundação Destellos (Mar del Plata) pelo seu trabalho acústico "Fragot". Em 2011, recebeu o apoio da FONCA CONACULTA (México) e do Ministério da Cultura da Argentina para residência em 2012 no Centro Mexicano de Música e Artes de Som (Morelia, Michoacán). Em 2012, recebe uma bolsa de estudos do Ministério da Cultura de Espanha para realizar estudos no LIEM (Centro de Tecnologias do Específico, Madrid). Em 2014 ganhou o 3º prémio Luigi Russolo e obteve a Menção Rossana Maggia pela inovação no uso da voz humana para o seu trabalho "Forêt".
É o director da Licenciatura em Interpretação Musical da Universidade Provincial de Córdoba e é um membro da LEIM Ensamble, grupo de improvisação + residente eletrónica ao vivo no Laboratório de Electroacústica e Computação Musical da Faculdade de Artes-UNC.

Notes
"Discovering yourself in the middle of a large forest, without know the way to get out, you are unlikely to see the beautiful flowers or the fascinating bird song.  With the introduction with just the marginal rail or the signage they can move with a completely different feel. As the electroacoustic features offer the potential to create exotic sound forests. It is important to understand that a point of reference need not be a timbre or familiar rhythm, but a process understood by the listener. A person in the forest finds security in the function of the roads and signs, not in the roads or in the signs”


                                                                                                                                          D. Keane.

Words and the inability to sing, to express themselves, become the engine for the development of the play. The whispers will be the only guide in the sound forest.



Notas
"Descobrindo-se no meio de uma grande floresta, sem saber o caminho para sair, é pouco provável que ver as belas flores ou o canto de pássaros fascinante. No entanto, com a introdução de apenas um percurso marginal ou a sinalização, podem-se mover com uma sensação completamente diferente. Como os recursos electroacústicos oferecem o potencial para criar florestas de som exóticas, há uma necessidade convincente de referências. É importante entender que um ponto de referência não precisa de ser um timbre ou ritmo familiar, mas um processo compreendido pelo ouvinte. Uma pessoa na floresta encontra segurança na função dos caminhos e sinalização, não nos próprios caminhos ou nos sinalização "
 D. Keane.
As palavras e a incapacidade de cantar, de se expressar, tornam-se o motor para o desenvolvimento da peça. Os sussurros serão o único guia na floresta sonora.



Luis Lloret Sánchez: Foresta (Mexico)





Biography
Producer and audiovisual director. He studied audiovisual communication at the Sor Juana University. He released his first album Sounds of Utopia in 2012 with the collective Massive Graus. He participated in the audiovisual installations Frutos Azules (2013) and Hamlet 2.0 (2014). Xui, his experimental electronic music project was featured on the extinct program of Otoño in Hiroshima from Reactor 105.7. His sound piece Re-discurso was selected to the SONOM 2014 Sonoric Art Festival. He obtained the second place in the 10th Internacional Radio Bienal in the category of programs produced by students, with his radio document: In wheels sobre la vida. He musicised the video to the Image Center. He participated in the exhibition “Migrantes of the Museum of Memory and Tolerance”. In 2017, he participates in the E-Literature piece: Resonar, with his piece Cimiento. He participated in direct sound recording, sound design, and he composed music for short films. He is currently project manager of TeslaTv's sound department. Also, he participates at the International Film Festival in Buenos Aires Argentina BAFICI 2010 and at the international film festival Rotterdam IFFR 2012 Netherlands. 2013 was appointed for an Ariel Prize - Original Song.

Biografia
Produtor e diretor audiovisual. Estudou comunicação audiovisual na Universidade Sor Juana. Lançou o seu primeiro álbum Sounds of Utopia em 2012 com o coletivo Massive Graus. Participou nas instalações audiovisuais Frutos Azules (2013) e Hamlet 2.0 (2014). Xui, o seu projeto de música experimental-electrónica, foi exibido no programa extinto de Otoño en Hiroshima de Reactor 105.7. A sua peça de som Re-speech foi selecionada para o SONOM 2014 Sonoric Art Festival. Obteve o segundo lugar na 10º Internacional Radio Bienal na categoria de programas produzidos por estudantes, com o seu documentário de rádio: In wheels sobre la vida. Fez música para vídeos para o Centro da Imagem. Participaram da exposição Migrantes do Museu da Memória e Tolerância. Em 2017 participa na peça de E-Literature: Resonar, com sua peça Cimiento. Participou em projetos de gravação de som, design de som, além de compor música em curtas metragens. Atualmente é gestor de projeto e chefe do departamento de som da TeslaTv.
Também participou no Festival Internacional de Cinema em Buenos Aires Argentina BAFICI 2010 e no festival internacional de cinema Rotterdam IFFR 2012 Holanda. 2013 Nomeação para um prémio Ariel - música original.




Notes
Foresta,
created from different layers of sound, where a sound landscape, an electroacoustic, a piano piece by John Cage and paradoxes unite. The digital nature and the existence of tuning without listener are like two main premises within the piece that transits between a medium and another, because they simultaneously represent cycles that are changing, but without end its sonorous inner space and ending its execution in the moment in which a journey finished its time, not linear to our perception.

Notas
Foresta,
criado a partir de diferentes camadas de som, onde a paisagem sonora, a eletroacústica, uma peça de piano de John Cage e paradoxos se unem. A natureza digital e a existência de ouvir sem ouvinte são as duas premissas principais dentro da peça que transita entre um meio e outro, pois representam simultaneamente ciclos que estão mudando, mas sem fim no seu próprio espaço sonoro e terminando a sua execução no momento em que a jornada termina seu tempo, não linear à nossa percepção.



Jorge García del Valle Méndez: URBAN-SCAPES (Spain)



Biography
Jorge García del Valle Méndez was born in Germany, but grew up in Spain, where he studied bassoon and composition. Since 1996 he lives in Dresden, Germany where he studied composition and electronic music.
His compositional style is based on the articulation of time through sound structures, often through electronic means as sound generators or as a method of composition.
Through electronic music he became interested in digital analysis and sound processing, which he has applied to theoretical and musical works. He has also researched into digital analysis in Bassoon multiphonics and their sound possibilities in the application to contemporary music.
His compositional career has definitely taken an international course. His works are performed and broadcasted worldwide. He frequently receives commissions from various international institutions.
Several prizes gave international recognition to his music: the Salvatore Martirano Composition Award of the University of Illinois (USA), the Sächsischer Musikrat Composition Award (Germany) and the Concours International de Composition de Musique Electroacoustique de Monaco.
He has participated in numerous festivals, including the Electronic Music Midwest Festival EMM (USA), the SICMF Festival (South Korea), the NYCEMF (USA), the ICMC, the EMUFest (Italy) and the WOCMAT (Taiwan).
In 2012 he was invited at the Härjedalens Summer Academy in Sweden as composition's lecturer.

Biografia
Jorge García del Valle Méndez nasceu na Alemanha. Cresceu em Espanha, onde estudou fagote e composição. Desde 1996, ele mora em Dresden, Alemanha, onde estudou composição e música eletrónica.
Seu estilo de composição é baseado na articulação do tempo através de estruturas de som, muitas vezes através de meios eletrónicos como geradores de som ou como método de composição.
Através dos seus estudos no campo da música eletrónica, tomou interesse pela análise digital e processamento de som, que ele aplicou a obras teóricas e musicais. Investigou análises digitais de multifónicos do fagote e suas possibilidades de som na aplicação à música contemporânea.
A sua carreira composicional tomou um curso internacional, tendo as suas obras sido realizadas e transmitidas em muitos lugares do mundo. Frequentemente, recebe encomendas de instituições internacionais.
Vários prémios deram reconhecimento internacional à música: o Prémio Salvatore Martirano Composição da Universidade de Illinois (EUA), o Sächsischer Musikrat Composition Award (Alemanha) e o Concours International de Composição de Música Electroacústica de Mónaco.
Participou em numerosos festivais, incluindo o Festival de Música Eletrónica do Centro-Oeste EMM (EUA), Festival SICMF (Coréia do Sul), NYCEMF (EUA), ICMC, EMUFest (Itália) e WOCMAT (Taiwan).
Em 2012, ele foi convidado na Academia de Verão de Härjedalens na Suécia como orientador na área da composição.

Notes
1. Subway
2. Square
4. Down the street
5. Walking
The diversity, pulsating energy and constant movement of a city. The feeling of making a wonderful discovery at every corner. Observing the flow of people colliding, reacting, and moving on. The slow movements of a giant... The urban environment lets the music of the city flow in my creation. 
Urban-Scapes does not reflect directly the sounds of a city. Rather, the contemplation of its energy is depicted in the work. The three miniatures represent an attempt to understand my experience of the city.

Notas
A diversidade, a energia pulsante e o movimento constante de uma cidade. A sensação de fazer uma descoberta maravilhosa em todos os cantos. Observando o fluxo de pessoas que colidem, reagem e avançam. Os movimentos lentos de um gigante... O ambiente urbano permite que a música da cidade possa fluir, nesta minha criação.
Urban-Scapes não reflete diretamente os sons de uma cidade. Em vez disso, a contemplação de sua energia é retratada na peça. As três miniaturas representam uma tentativa de compreender a minha experiência da cidade.



Carole Chargueron: fonomicroscopia (France)



Biografia
Nascida a 8 de janeiro de 1966 em Bollène na França.

Começou a estudar piano aos sete anos. Obteve o diploma de bacharelato em musicologia, entrandodepois na classe de música eletroacústica em Nice com Michel Pascal. Viaja para os Estados Unidos para estudar em CALARTS com Morton Subotnick. Recebe o diploma em composição eletroacústica do Conservatório Nacional Superior de Lyon com Philippe Manoury e Denis Lorrain. Reside no México desde 1998. É responsável pela oficina eletroacústica da Escola de Música e é coordenadora da Academia de composição da escola. Foi co-organizadora do festival de música eletroacústica "Sismo 04" (UNAM 2004). FONCA. Recebeu bolsas para residência no estrangeiro do Banff Centre e uma bolsa de “proyectos y Coinversión” para realizar a sua obra "Barkhanes". Durante 6 anos, fez parte do corpo docente do curso transdisciplinar de Cenart "Trânsitos". Em 2015 realizou "Fonomicroscopía del D.F." (parte de 22.2 canais) para el Espacio de Experimentación Sonora (MUAC), parte do Festival de Música Nueva Manuel Enriquez. Graças a uma bolsa de estudos para os compositores do Ibermúsicas, faz uma residência no Chile, em 2016, para compor uma peça baseada no canto das dunas e sons do deserto. Em junho 2017 a sua peça  "Exploración Metálica" foi lançada para Monumento de percussão (escultura sonora Baschet) e um percussionista dentro da exposição Reverberaciones do MUAC.
Ela está particularmente interessada em compor músicas electroacústicas mistas, peças acústicas, repensar a música com relação ao espaço e como arte cênica. Nas peças mistas, o seu principal interesse é desenvolver uma estreita colaboração com o intérprete no momento da concepção da peça.
As suas peças foram apresentadas no México e no exterior por Verge Ensemble (EUA), o CEPROMUSIC, Eva Zöllner (Cervantino Festival), duplum Duo (Colégio Nacional, Festival Internacional Oaxaca, Puebla Discantus Festival), Asako Arai (Music Forum Nueva Manuel Enríquez), entre outros.

Notes
The piece proposes a portrait of the soundscape of Mexico City at the moment.
The forest of Chapultepec, the subway, the kiosk of Santa Maria la Ribera, the tamales fair in Coyoacán, the Alameda and its skates, a night at wresting, are some of the sound references. From the original recordings, the piece looks for the ear to focus on some details, some zooms of sound, to capture dialogues, unpredictable movements, unprecedented juxtapositions or unusual situations. Extracting these samples from their contexts is intended not only to focus our attention on them, but also to free them from the original recording so that they can operate with an independent hatching of timbre, morphological and spatial. Audios extracted from an urban jungle are re-structured, blended and become abstract objects with another meaning.
I dedicate this piece to all those who live in Mexico City, generating and sharing their sounds between utopia and hell.

Notas
A peça propõe um retrato da paisagem sonora da Cidade do México, actualmente.
A floresta de Chapultepec, o metro, o quiosque de Santa Maria la Ribera, a feira de tamales em Coyoacán, a Alameda e seus skates, uma noite na luta livre, são algumas das referências sonoras. A partir das gravações originais, a peça procura que o ouvido se concentre em alguns detalhes, alguns zooms de som, pretende capturar diálogos, movimentos imprevisíveis, justaposições sem precedentes ou situações incomuns. O facto de extrair essas amostras de seus contextos pretende  não só concentrar a sua atenção nelas, como também libertá-las da gravação original para que possam operar uma eclosão de timbre, morfológica e espacial independentes. Áudios extraídos de uma selva urbana são re-estruturados, misturados e tornam-se objetos abstratos com outro significado.
Dedico esta peça a todos aqueles que vivem na Cidade do México, gerando e partilhando os seus sons entre a utopia e o inferno.



Manuel Rocha Iturbide: CASI NADA (Mexico)



Biography
Born in 1963 in Mexico City. Manuel Rocha Iturbide studies composition at the Escuela Nacional de Música in the University of Mexico with Julio Estrada, Ratko Tichavsky and Federico Ibarra. During three years he works in the collective photography workshop of Pedro Meyer and he participates in various exhibitions in Mexico, Brazil, Cuba and Italy. His interest for electronic music, experimental video, sound installations and sound sculpture take him to the University of Mills College in the USA, where thanks to a grant from the OEA and UNAM, he studies with Alvin Curran, Anthony Braxton, David Rosenboom and Larry Polansky, and obtains an MFA in electronic music and composition (1991). Then in Paris, he takes a one-year course in composition and computer music at IRCAM, where he studies with Bryan Fernyhough (1991-92). In 1992 he starts his doctoral thesis on "Granular synthesis techniques" with Horacio Vaggione at the University of Paris VIII. In 1993 he wins a grant from the Mexican cultural foundation to compose three electroacustic pieces. In France, he works at studios UPIC, GRM and IRCAM to produce works. Manuel Rocha Iturbide lives currently in Mexico City, where he works as composer and sound artist, and where he has been the curator of the international sound art festival and other sound art and electroacoustic music events. He taught at the University of Morelos State in Cuernavaca Mexico undergraduate and postgraduate courses on computer music and the history of sound in the arts (2003-2004), Composition at the National School of Music in UNAM (2003-to present day), Audio at the Ibero Americana University and at the Claustro de Sor Juana in the Communication Bachelors, and he is currently a full time professor in Digital Art at the Universidad Autónoma Metropolitana (UAM) in Lerma Edo. Mex. He has been member of the Sistema Nacional de Creadores three times (2004-2007, 2008.2011, 2012-2015). Since 2012 he is a member of the Le Laboratoire Gallery in Mexico City. In 2013 he published his first book "El Eco está en todas partes"- ALIAS Editorial directed by Damian Ortega.

Biografia
Nascido em 1963 na Cidade do México. Manuel Rocha Iturbide estudou composição na Escola Nacional de Música da Universidade do México com Julio Estrada, Ratko Tichavsky e Federico Ibarra. Durante três anos, trabalhou na oficina coletiva de fotografia de Pedro Meyer e participou em várias exposições no México, Brasil, Cuba e Itália. O seu interesse pela música electrónica, vídeo experimental, instalações sonoras e esculturas de som leva-o para a University of Mills College nos EUA onde, graças a uma bolsa da OEA e UNAM, estudou com Alvin Curran, Anthony Braxton, David Rosenboom e Larry Polansky, e obteve um MFA em música e composição electrónica (1991). Em Paris, fez um curso de um ano de composição e música informática no IRCAM, onde estudou com Bryan Fernyhough (1991-92). Em 1992, inicia sua tese de doutoramento em "Técnicas de síntese granular" com Horacio Vaggione na Universidade de Paris VIII.  Na França, trabalhou nos estúdios UPIC, GRM e IRCAM para produzir obras musicais. Manuel Rocha Iturbide vive atualmente na Cidade do México, onde trabalha como compositor e artista de som, e onde é curador do festival internacional de arte sonora e outros eventos de arte sonora e música electroacústica. Foi professor na Universidade de Morelos em Cuernavaca, no México, nos cursos de licenciatura e pós-graduação em informática e história do som nas artes (2003-2004), Composição na Escola Nacional de Música da UNAM (2003 até hoje), Áudio na Universidade Ibero Americana e no Claustro de Sor Juana na licenciatura em Comunicação e, atualmente, é professor de Arte Digital na Universidade Autónoma Metropolitana (UAM) em Lerma Edo, Mex. Foi membro do Sistema Nacional de Criadores três vezes (2004-2007, 2008.2011, 2012-2015). Desde 2012 é membro da Galeria Le Laboratoire da Cidade do México. Em 2013, publicou o seu primeiro livro "El Eco está en todas partes" - ALIAS Editorial dirigido por Damian Ortega.

Notes
This piece starts from a virtual and metaphorical recreation of soundscapes that we hear clearly, from a distance, in the room of our house through the window, for example. In CASI NADA, the sounds are not soft and distant, they are very present, it is a kind of amplification of reality. On the other hand, I also use fictional elements, replacing the common elements of the daily soundscape with instrumental and electronic sounds that blend with other real soundscapes. In this way, these three sound worlds blend, interact with each other and offer us a new and sophisticated world in which the richness of color is greater than in the real world (a kind of hyper reality). At the same time, it is a new world that depends on and benefits from the structural and textural complexity of the real world, as our goal is to create these new processes by trying to imitate them.

Notas
Esta peça começa a partir de uma recreação virtual e metafórica de paisagens sonoras que ouvimos claramente, à distância, na sala de nossa casa através da janela, por exemplo. Em CASI NADA, os sons não são macios e distantes, eles estão muito presentes, é uma espécie de amplificação da realidade. Por outro lado, também uso elementos fictícios, substituindo os elementos comuns da paisagem sonora diária com sons instrumentais e electrónicos que se misturam com outras paisagens sonoras reais. Desta forma, esses três mundos sonoros confundem-se, interagem uns com os outros e oferecem-nos um mundo novo e sofisticado no qual a riqueza da cor é maior do que no mundo real (uma espécie de hiper realidade). Ao mesmo tempo, é um mundo novo que depende e beneficia da complexidade estrutural e textural do mundo real, pois o nosso objetivo é criar esses novos processos tentando imitá-los.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Culture and Sustainability Symposium • 2019 • Lisboa Incomum

Yves Henry • Conferência & Recital • Escola Superior de Música de Lisboa

DME Dezembro • Seia