Bertrand Denzler, Ernesto Rodrigues & Abdul Moimême



A presente performance, de improvisação livre, trata-se de uma estreia absoluta.

BERTRAND DENZLER

Bertrand Denzler, saxofonista, performer, improvisador e compositor suíço é uma voz activa no campo da música improvisada contemporânea, da nova música, assim como do free jazz; tendo tocado nos quatro cantos do planeta e participado em formações tão destacadas como o Trio Sowari, Hubbub, Denzler-Gerbal-Dörner, The Seen, Onceim, Denzler-Grip-Johansson…

Como compositor, já concebeu trabalhos para inúmeras formações tais como, o Ensemble ReRe, CoÔ (Cordes de l’Onceim), Bondi-Denzler-D’Incise, Šalter Ensemble, CCP3, Félicie Bazelaire, Ensemble Hodos, Onceim and Horns, assim como para a Umlaut Big Band, uma ‘big band’ de jazz.

Participou ainda em mais de 70 lançamentos discográficos de diversas editoras de renome.

Na área da escrita sobre improvisação e música experimental publicou textos em colaboração com personagem tão destacadas quanto Jean-Luc Guionnet, Burkhard Beins e Phil Durrant; dando ainda ‘workshops’ formativos.

http://www.bertranddenzler.com/

ERNESTO RODRIGUES

Ernesto Rodrigues, violetista Lisboeta, não precisa de aprestações tratando-se de um músico fulcral na área improvisação, dinamizador de inúmeros ciclos de música improvisada aquém e além-fronteiras e ainda criador da editora Creative Sources.

O seu principal interesse está relacionado com a música contemporânea (improvisada e/ou escrita), assim como a música gráfica e indeterminada.

A relação com os seus instrumentos é basicamente direccionada para aspectos de ordem "sónica" e textural. Na sua prática contam colaborações musicais em trabalhos dos artistas plásticos Carlos Mota e Rogério Silva, assim como música para Dança, em trabalhos de Isabel Valverde, Ana Galan, Anna Pasztor, Valérie Métivier, Andresa Soares, Manuela Cipriano e Ana Moura.

Na música para Cinema destaca a sua colaboração com os realizadores Rui Simões e Edgar Feldman. No campo da Poesia distingue experiências com Lawrence Ferlinghetti e Manuel Cintra.

É membro fundador dos grupos como Metropolis, Fromage Digital, Lautari Consort, IKB Ensemble, Suspensão, Isotope Ensemble e String Theory…

Activo como improvisador, destacam-se colaborações com Carlos Zíngaro, Manuel Mota, Gabriel Paiuk, Jean-Luc Guionnet, Taku Unami, Christine Sehnaoui Abdelnour, Michael Vorfeld, Wade Matthews, Ingar Zach, Michael Thieke, Keith Rowe, Axel Dörner, Tetuzi Akiyama, Pascal Battus, Alessandro Bosetti, Heddy Boubaker, Angharad Davies, Rhodri Davies, Jacques Demierre, Ernesto Diaz-Infante, Andrew Drury, Alexander Frangenheim, Tim Hodgkinson, Mazen Kerbaj, Hans Koch, Peter Kowald, Ulrich Krieger, Hannah Marshall, Oren Marshall, Seijiro Murayama, Reuben Radding, Gino Robbair, David Stackenäs, Birgit Ulher, Biliana Voutchkova, Nusch Werchowska, Mathieu Werchowski, Radu Malfatti, Christian Wolfarth, Tom Djll, John Eckhardt, Carl Ludwig Hübsch, Raymond Strid, Martin Küchen…

Em 1999 funda a editora Creative Sources Recordings, principalmente vocacionada para a música experimental e electroacústica.

Em 2000 funda a Variable Geometry Orchestra, a qual presentemente.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ernesto_Rodrigues 

ABDUL MOIMÊME

O guitarrista lisboeta Abdul Moimême, arquitecto de formação, tem participado activamente como improvisador livre na cena nacional, tendo em diversos países da Europa e no Brasil.

Participou em cerca de 45 edições discográficas, nas quais se contam 3 trabalho a solo.

Isotope Ensemble e String Theory

Colaborou em formações como o Dissection Room, IKB, Insub Meta Orchestra, Isotope Ensemble, Queixas, String Theory, Suspensão, e a Variable Geometry Orchestra, tocado ainda com músicos como: Albert Cirera, Andrew Drury, An Tez, Axel Dörner, Carlos Santos, Carlos Zingaro, Christian Weber, Cyril Bondi, D’Incise, Ernesto Rodrigues, Floros Floridis, Fred Lonberg-Holm, George Haslam, Guilherme Águas Rodrigues, Heddy Boubaker, Ilia Belorukov, Jon Raskin, Kurt Liedwart, Lisle Ellis, Miguel A. Garcia, Marco von Orelli, Marco Scarassatti, Nusch Werchowska, Patrick Brennan, Ricardo Guerreiro, Thanos  Chrysakis, Thomas Rohrer, Wade Matthews, Wilfrido Terrazas...

Compôs peças para radio e cinema, nomeadamente participando em “Disaster 501: What Happened to Man?”, um conceito do cineasta Lars von Trier, assim como na banda sonora do filme Pele, de Fernando Vendrell. A sua peça para rádio ‘Memento’ foi emitida mundialmente, em 2016.

Entre 1999 e 2013 escreveu sobre jazz nas revistas Flirt, All Jazz, Jazz.pt, o jornal Público e a Jazz Journalists Association.

https://nekhephthu.wixsite.com/abdul-moimeme




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CALL FOR PIECES • Culture and Sustainability Symposium

CALL FOR PRESENTATIONS • Culture and Sustainability Symposium

Mediterranea • Workshop + Performance