Mardi Matin Trio


Mardi Matin Trio

23 Nov | 19h30 | Lisboa Incomum


MARDI MATIN TRIO

Ricardo Sá Leão - piano
Ricado A. Freitas - guitarra baixo
Nuno Morão - percussão
Sinopse
O projecto Mardi Matin Trio surgiu em 2017 por iniciativa de Ricardo Sá Leão, tendo a sua formação actual desde 2019. É composto por Ricardo Sá Leão, pianista de formação clássica
que se encontra neste momento a terminar o seu doutoramento na Universidade de Évora (dedicado à improvisação), por Ricardo A. Freitas, baixista e compositor que contribui regularmente com música para espectáculos de dança e teatro e por Nuno Morão, baterista e percussionista, engenheiro de som e sonoplasta, que grava, mistura e edita som para cinema.
O trio dedica-se à improvisação livre.
Biografias
Ricardo Sá-Leão, Lisboa, 1977. Pianista e professor de Piano, Percussão Corporal e Acompanhamento e Improvisação. Diplomou-se na Escola Superior de Música de Lisboa e na
Faculdade de Música da Escola Superior de Artes de Utrecht, na Holanda, frequentando actualmente o 3.o ano do Doutoramento em Música e Musicologia (especialidade em Interpretação) na Universidade de Évora.
Enquanto músico e pedagogo, interessa-se particularmente pela promoção de uma vivência artística criativa, individual e livre, nomeadamente através do desenvolvimento abrangente e
integrado de competências, procurando deste modo recuperar uma tradição histórica de prática
e ensino musicais. Nesse sentido, dedica-se à adaptação, criação e divulgação de materiais pedagógicos e de obras musicais — sobretudo nas áreas da musicalidade prática e da improvisação —, à participação em projectos de improvisação e à orientação regular de workshops.
Ricardo A. Freitas, Lisboa, 1974. Toca baixo eléctrico e electroacústico, compõe e faz arranjos em diferentes contextos. Com Pablibut Sone participou na Bienal de Jovens Criadores da
Europa e Mediterrâneo, Turim, 1997. Colaborou nos projectos Wishfull Tinking Quintet (Alípio C Neto), 3-Bass-Hit (Johannes Krieger) e actualmente com Al-jiçç (Nuno Damião). Dirigiu os seus próprios projectos IntErLúNio e GRIP. Tem partilhado com diferentes músicos da cena lisboeta
os espaços da improvisação livre. Com o Ensemble Granular (dir. Nuno Rebelo) em colaboração com a P.A.R.T.S., actuou no Palais des Beaux Arts, Bruxelas, 2007. Desde 1998 contribui com música para espectáculos de dança e teatro de Pedro Carraca / Rui Guilherme Lopes, Filipa Francisco, Francisco Campos, Maria Radich, Miguel Antunes / Maila Dimas, António Pedro e Marina Nabais.
Nuno Morão, Lisboa, 1976. Baterista e percussionista, engenheiro de som e sonoplasta. Toca em diversos projectos musicais, dos quais se destacam Space Quartet, The Selva, Hamar Trio, Wednesday, Love that Lava, PARQUE, Pinkdraft, Torres+Faustino+Morão, Variable Geometry Orchestra, IKB, Ensemble JER, Madalena Palmeirim, Chão da Feira, Nome Comum e Nuno Sanches. Grava, edita e mistura som para cinema. É engenheiro de som na FISGA/Scratch Built Studio. Gosta de caminhar pelas serras, fazer gravações-de-campo, e fotografar comboios.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Culture and Sustainability Symposium • 2019 • Lisboa Incomum

Residência Artística • Igor C. Silva & Maija Anttila

Digressão Aleph Guitar Quartet