VIOLA [UN]PLUGGED • Aida-Carmen Soanea • Fonograma

Obras de | Works by:

Jaime Reis
Roman Vlad
Christopher Bochmann
João Madureira
Moritz Eggert
João Pedro Oliveira


[PT]

Notas sobre a gravação:

"Este CD é a minha homenagem pessoal à música contemporânea portuguesa. Tive o prazer de descobrir a peça Rust, de João Pedro Oliveira, há alguns anos, num concurso de música electroacústica que decorreu na Roménia. Esta  peça dramática e intensa chamou-me imediatamente à atenção e tornou-se uma das principais peças do meu repertório de música contemporânea. Tendo trabalhado como primeira viola, durante dois anos, na Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, tive a sorte de conhecer o maravilhoso compositor Jaime Reis. Não sendo apenas compositor, Jaime Reis é também um homem de intensa atividade em prol da música contemporânea em Portugal e em toda a Europa. Assim que comecei a interpretar a sua peça, vi-a como um contraponto à peça de João Pedro Oliveira. E assim nasceu a ideia de criar um programa à volta destas duas peças. Em conjunto com o Jaime, decidi combinar o som da viola e electroacústica, com peças de viola solo. Ele propôs-me duas peças contrastantes de João Madureira e Christopher Bochmann, que imediatamente pensei que ficariam muito bem no nosso programa. Da minha parte, propus ao Jaime duas peças que eu conhecera. Uma de Roman Vlad, uma peça do meu país natal que interpretei e gravei também na Roménia. E a outra peça, de Moritz Eggert, compositor alemão, vindo também do país onde vivi como o meu segundo país natal. E, juntos, criámos um programa em torno do som da viola com e sem electrónica."

- Aida-Carmen Soanea 


Notas de programa:


Fluxus, Transitional Flow (2013) - Jaime Reis

Esta peça pertence ao ciclo Fluxus, cujas peças são inspiradas em elementos da Física e nas quais são desenvolvidos elementos musicais que se relacionam com determinados fenómenos físicos relacionados com a mecânica dos fluidos. Nesta peça em particular, encomenda do Festival Primavera, foram gravados sons de aviões do Aeroclube de Torres Vedras e utilizadas técnicas de síntese que remetessem para a ideia de um fluxo musical que parte da viola d'arco e é expandido para a electrónica, em transições que passam desde os elementos mais próximos ao material musical instrumental, como que se de um fluxo laminar (numa perspectiva física) se tratasse, até elementos mais imprevisíveis, como se de num fluxo turbulento, gerando assim um jogo constante de transições entre os diferentes materiais musicais e seus tratamentos. Foi concebida como uma peça didáctica cujas partes foram organizadas para poderem ser tocadas por alunos em níveis diferentes de modo a promover o estudo do instrumento por alunos do Ensino Artístico Especializado em práticas menos frequentes como a música electroacústica.


Princesse X-4 (2016) - Roman Vlad



Leise, leise (2002) - Christopher Bochmann

Leise, leise foi escrito no ano de 2002 durante uma pequena estadia como professor convidado da Hochschule für Musik und Theater em Leipzig, Alemanha. A peça é dedicada ao compositor argentino Diego Uzal, cuja música é principalmente da área da música electroacústica. 

Esta obra é um estudo da execução na dinâmica de piano; utiliza sonoridades que se aproximam um pouco aos sons da electroacústica. O título da obra é uma citação das primeiras palavras de uma das árias da Agate da ópera Der Freischütz de Weber. As primeiras quatro notas desta ária (Sol#, Si, Dó#, Si) formam a vértebra da obra. 


Inscrição (2006) - João Madureira



Consolations (1993/2016) - Moritz Eggert

“No verão de 1993, enquanto trabalhava na bastante complexa e estruturada obra orquestral 'Vexations', consolava-me, durante as minhas horas de cansaço, com pensamentos sobre a minha próxima peça, que deveria ser muito íntima e simples (e, de preferência, para instrumento solo). Parecia apropriado dar a esta peça o título “Consolations” (não é a primeira peça com este título, basta pensar em Liszt ou Lachenmann...).

Um motivo de passacaglia serviu como a ideia fundamental que estava presente na minha cabeça enquanto caminhava pela floresta da Nova Inglaterra. Este baixo, sempre semelhante, em contraponto com uma segunda parte "arriscada" em harmónicos, é apresentado no início da peça, mas permanece também como fundo nas passagens seguintes. Cada explosão nesta peça significa também um retorno, a cada momento emocionante segue-se um momento calmo, ouvindo atentamente.

O pulso regular dos passos. O andarilho está a assobiar. A chegada - um consolo?”


Rust (2014) - João Pedro Oliveira

Rust pertence a um grupo de 4 obras que se inspiram em elementos da natureza: Magma para Violino e electrónica; Titanium para piano a 4 mãos, 2 pianos de brinquedo e electrónica; Burning Silver para flauta, guitarra e electrónica; Rust para viola e electrónica.

Cada uma destas peças relaciona-se com características dos elementos nos quais se inspira.

No caso de Rust (ferrugem) a ideia de um objeto frágil, que se pode quebrar a qualquer momento, mas cuja aparência se pode confundir com o ferro, dá corpo a uma obra em que os elementos melódicos se quebram, dispersam e são novamente reunidos nos diversos gestos e frases musicais. Simultaneamente a dureza dos ataques e de alguns gestos musicais e a forma como estes são prolongados pela electrónica, pretende criar a contradição entre a fragilidade do instrumento que os toca e a força que a parte electrónica insere no discurso musical.


----

Aida-Carmen Soanea, uma violetista eclética e carismática, nasceu na Roménia numa família de cantores de ópera. Em 2005, ganhou o 1º Prémio do Concurso Valentino Bucchi em Roma e em 2000 o 2º Prémio no Concurso Bashmet Viola em Moscovo. Formou-se com distinção no Hanns Eisler Hochschule (Berlim) na classe de Kim Kashkashian e no Conservatoire Supérieur de Paris com Gérard Caussé.

Durante a sua educação musical foi influenciada e recebeu grandes contribuições musicais de Juri Bashmet durante várias masterclasses na Accademia Chigiana di Siena, de Ivan Fischer, que a convidou para a posição de viola solo na Orquestra do Festival de Budapeste (2004 a 2008) e, especialmente, de Claudio Abbado, maestro com quem trabalhava regularmente como membro da Orquestra Juvenil Gustav Mahler e, mais tarde, da Orquestra do Festival de Lucerna.

A relação de Aida-Carmen Soanea com a música contemporânea é, para ela, essencial; trabalha activamente na Alemanha, participando regularmente em concertos com o Ensemble Modern de Frankfurt, o que constitui uma parte importante da sua carreira. Colabora também regularmente com os agrupamentos da Casa da Música, no Porto, onde é convidada como solista. Dedica-se a trabalhar em conjunto com diferentes compositores contemporâneos, tendo várias peças que lhe são dedicadas.



[ENG] 

About the recording:

"This CD is my personal hommage to Portuguese contemporary music. I had the pleasure to discover the work Rust, by João Pedro Oliveira, some years ago in a competition for electroacoustic music which took place in Romania. This very intense dramatic piece caught me immediately and turned to be one of the main pieces of my repertoire of contemporary music. Having worked as Principal Viola at the Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música for two years, I was very lucky to meet the wonderful composer Jaime Reis. Not only a composer, as Jaime Reis is also a man of incredible activity for the contemporary music scene in Portugal and in the whole Europe. As soon as I started to interpret his piece I saw it as a contrepoint to the piece by João Pedro Oliveira. And so was born the idea of creating a programme around these two works. Jaime and I went for the idea of combining the sound of the viola plus electroacoustics, with solo viola pieces. He proposed me the two contrasting pieces by João Madureira and Christopher Bochmann, which I thought immediately would go very well for our programme. On my part, I proposed to Jaime two pieces that I knew. One by Roman Vlad, a piece which comes from my home country which I had interpreted and recorded as well in Romania. And the other piece by Moritz Eggert, German composer, coming as well from the country where I lived as my second home country. And altogether we have created a programme around the sounds of the viola with and without electronics – viola [un]plugged."

- Aida-Carmen Soanea 


Programme Notes:

Fluxus, Transitional Flow (2013) - Jaime Reis

This piece belongs to the cycle Fluxus, whose pieces are inspired by elements of physics and in which musical elements that relate to certain physical phenomena related to fluid mechanics are developed. It was commissioned by Festival Primavera 2013 (Portugal) and it uses recorded sounds of aircraft at the Aero Club of Torres Vedras and used synthesis techniques that relate to the idea of a musical flow that part of the viola and is expanded for the electronics in transitions passing from the elements closest to the instrumental musical material, like that of a laminar flow (in a physics perspective) to more unpredictable elements, as if in a turbulent flow, thus generating a constant game of transitions between different materials musical and its treatments. In order to promote contact with electroacoustic music practice, it was created as a didactic piece to be played by conservatory students of different ages and levels for each part of the piece.


Princesse X-4 (2016) - Roman Vlad



Leise, leise (2002) - Christopher Bochmann

Leise, leise was written in 2002 during a short stay as a visiting professor at the Hochschule for Music and Theater in Leipzig, Germany. This piece is dedicated to the Argentine composer Diego Uzal, whose music is mainly from the area of ​​electroacoustic music.

This piece is a study of piano performance; uses sounds that get a little closer to the sounds of electroacoustics. The title of this piece is a quote from the first words in the Agate aria of the opera Der Freischütz by Weber. The first four notes of this aria (Sol #, Si, C #, Si) form the vertebra of the work.


Inscrição (2006) - João Madureira



Consolations (1993/2016) - Moritz Eggert

"In the summer of 1993, whilst working on the very complex and thoroughly structured orchestral work ‘Vexations’, I consoled myself during my tired hours with thoughts about my next piece, which was to be very intimate and simple (and preferably for a solo instrument). It seemed fitting to give this piece the title ‘Consolations’ (not the first piece by this name, one need only think of Liszt or Lachenmann ...).

A passacaglia motif served as the fundamental idea that was going through my head whilst walking through the New England woods. This ever-similar bass, counterpointed by a second, ‘risky’ part in harmonics, is sounded at the beginning of the piece, but also remains in the background in the following passages. Each outburst in this piece also signifies a return, each exciting moment follows a moment of standing still, listening attentively.

The regular pulse of the footsteps. The wanderer’s whistling. Arrival – a consolation?”


Rust (2014) - João Pedro Oliveira

Rust belongs to a group of 4 works that are inspired by elements of nature: Magma for Violin and electronics; Titanium for 4-handed piano, 2 toy pianos and electronics; Burning Silver for flute, guitar and electronics; Rust for viola and electronics.

Each of these pieces is related to the characteristics of the elements in which it is inspired.

In the case of Rust, the idea of ​​a fragile object, which can be broken at any time, but whose appearance can be confused with iron, gives form to a work in which the melodic elements break, disperse and are reunited in the various gestures and musical phrases. Simultaneously, the harshness of the attacks and some musical gestures and the way they are prolonged by electronics, intends to create the contradiction between the fragility of the instrument that touches them and the strength that the electronic part inserts in the musical discourse.


----

Aida-Carmen Soanea, an eclectic and charismatic violist, is born in Romania into a family of opera singers. In 2005 she won the 1st Prize of the Valentino Bucchi Competition in Rome – and in 2000 the 2nd Prize at the Bashmet Viola Competition in Moscow. She has also been graduated with distinction at the Hanns Eisler Hochschule (Berlin) in the class of Kim Kashkashian and at the Conservatoire Supérieur de Paris with Gérard Caussé. 

She has been influenced and received big musical inputs from Juri Bashmet during several masterclasses at the Accademia Chigiana di Siena, from Ivan Fischer who invited her on the position of solo viola of the Budapest Festival Orchestra (2004 to 2008) and especially from Claudio Abbado, whom she encountered regularly as a member of Gustav Mahler Youth Orchestra and later, of the Lucerne Festival Orchestra.

Aida-Carmen Soanea’ s relation with contemporary music is for her essential ; her regular participation in the Ensemble Modern of Frankfurt being an important part of it. She’s using to work together with different living composers, several works being dedicated to her.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SIGMA Project | Euskadi suena en Portugal | 14 Nov 2020 | Centro Cultural Raiano

Ensemble DME — Vortex Temporum, geometrias do inelidível

Simpósio Cultura & Sustentabilidade - quarta edição