Residência Artística DME - Seia 2021

É com muito prazer que o Festival DME comunica os artistas selecionados para a residência artística DME, a decorrer durante o mês de Agosto, em Seia:

Camila Menino & Manuel Brásio (PT)

Jug Marković (SRB)

A residência artística DME em Seia conta com o apoio da Câmara Municipal de Seia, da Associação de Beneficiência do Sabugueiro e da Escola Superior de Turismo e Hotelaria do Instituto Politécnico da Guarda.

-----------------------

Nos próximos dias 1 e 2 de Setembro, celebramos o culminar do trabalho desenvolvido pelos artistas Manuel Brásio, Camila Menino e Jug Marković, em residência artística na cidade de Seia.

1 SET | 18H | Casa Municipal da Cultura de Seia 
Camila Menino & Manuel Brásio ::: A TERRA DOS SORRISOS TAPADOS 

2 SET | 18H | 
Casa Municipal da Cultura de Seia 
Jug Marković

Informação sobre os projetos seleccionados

↓ 

Camila Menino & Manuel Brásio ::: A TERRA DOS SORRISOS TAPADOS 

1-30 Agosto | Casa Municipal da Cultura de Seia


"Nesta narrativa, apresentada em modo de concerto multimédia (para vídeo, trompete, percussão e eletrónica), iremos explorar a visão de uma personagem coletiva heterogénea, composta pelos testemunhos reais, paralelos e intergeracionais de quem viveu no campo ou nasceu na cidade - estes testemunhos serão recolhidos ao longo de quatro meses, em sete localidades da zona norte e centro, litoral e interior de Portugal: Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Porto, Chaves, Torre de Moncorvo, Campo Benfeito e Seia."

Camila Salomé Menino

Trompetista e compositora natural do Porto. Frequenta a licenciatura em música na Universidade de Aveiro. Compositora emergente da 1ª Edição do Festival CriaSons, na temporada 2018/19 da Musicamera Produções; vencedora do concurso “Quem é Calouste?”, organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian; premiada na 8ª, 9ª e 10ª edição do concurso “Prémio de Composição Século XXI”, organizado pela ARTEAM. Colaborou na criação do álbum “Reflexos” e “Flow”, gravados pelo clarinetista Frederic Cardoso e pelo eufonista Mauro Martins, respetivamente. Escreveu “Silêncio para 4”, para flauta e recitante, obra inserida no Concerto de Laureados do Prémio Musa 2020, organizado pelo MPMP – Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa. Colabora com a Orquestra Clássica de Espinho e a Orquestra de Sopros da Academia de Artes de Chaves.

Manuel Brásio

Músico e criativo ligado à composição e sound design para concerto, teatro, dança, e cinema, baterista e percussionista freelancer; professor e formador nas áreas da criatividade musical; sócio sobrevivente da AISCA, sócio fundador e coordenador de actividades da Interferência juntamente com José Tiago Baptista; colabora ainda no projecto FabLab Porto de João Barros, na equipa da Digitópia/Casa da Música e no projecto performativo Melífluo. Licenciado em Composição na ESMAE; Mestre em Multimédia: Música Interactiva e Design de Som pela FEUP; Compositor editado pelo Mic.pt e pelo mpmp; colabora frequentemente com o Teatro do Montemuro; escreveu “Bom dia Sophia” para oboé solo, uma encomenda da RTP/ANTENA2 para o Prémio Jovens Músicos 2018; Foi ainda director artístico, compositor e intérprete de SUPRAHUMAN obra em digressão da Interferência em 2019 com o apoio da DGARTES, Centro Nacional de Cultura, IPDJ e Antena 2. De momento apresenta-se em digressão com QUEM FALA ASSIM, um concerto multimédia, produção Interferência em colaboração com a Associação Portuguesa de Gagos no qual divide a criação e direcção artística com José Tiago Baptista.   

mais info: www.manuelbrasio.xyz / www.interferencia.pt

Apresentação do trabalho desenvolvido na residência artística na Casa Municipal da Cultura de Seia a 1 de Setembro de 2021.









 

 

 
Jug Marković ::: (nova obra acusmática)

1-15 Setembro | Hostel Criativo do Sabugueiro




O compositor Jug Marković irá usufruir da residência artística DME em Seia para compôr uma nova obra acusmática e partilhar com a comunidade local as suas obras para piano, interpretadas pelo próprio.

Jug Markovic aborda a música de um modo deliberadamente intuitivo. Nas suas peças, Jug tende a evitar conceitos estritos e premeditados, bem como sistemas formais, não possuindo quaisquer intenções extra-musicais. Jug interessa-se particularmente por música com uma energia elevada, mundos sonoros intensos, e texturas densas, bem como um ecletismo na abordagem estilísticas e uma recontextualização (jogando com) referências e gesto com uma conotação histórica acentuada. 
Markovic nasceu em Belgrado, onde residiu até ao ano passado. Neste momento, vive em Paris, onde ingressou no programa Cursus do IRCAM. A música de Jug tem sido apresentada em vários festivais de música na Europa, como o ManiFeste, Donaueschinger Musiktage, Time of Music, Festival d’Aix-en-Provence, New Music Dublin. Venceu também o ISCM Young Composers Award 2019 com a peça para coro “Nirvana”, bem como o Prémio Stevan Mokranjac 2019, ou prémios em competições como a New Classics Competition do Conservatório Tchaikovsky, Gubaidulina Competition ou a competição do Ensemble Festival.  A sua música foi interpretada, entre outros, pelo Ensemble Intercontemporain, Divertimento Ensemble, Mivos Quartet, Diotima Quartet, Coro da Rádio Letã, Coro de Câmara da Irlanda, Orquestra Gulbenkian, Filarmónica de Bruxelas, e a Orquestra Sinfónica da RTS. A sua peça Vokativ (para orquestra) foi selecionada pelo Conselho Internacional da Música como uma das “peças recomendadas” na 65ª Tribuna Internacional para Compositores. Jug também foi compositor residente na Fundação Gulbenkian, bem como em Snape Maltings (Reino Unido), onde foi orientado por Michael Finnissy. Jug possui um mestrado em composição pela Universidade de Artes de Belgrado, bem como uma licenciatura em arqueologia.   
 
Apresentação, na Casa Municipal da Cultura de Seia, do artísta residente a 2 de Setembro de 2021.
 






 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MIMA - Mostra Inter-Escolas de Música

MONOPASS