MONOPASS




MONOPASS | Lisboa Incomum | 25 SET | 21h

 

MONOPASS é um ensemble de sintetizadores composto por quatro compositores: Oxana Omelchuk, Luís Antunes Pena, Mark Polscher
e Florian Zwißler. O quarteto de Colónia foi fundado em 2018 e trabalha com sintetizadores analógicos, parcialmente históricos, bem como com processamento digital.

MONOPASS é um quarteto de compositores que cria os seus conceitos musicais em tempo real, utilizando métodos de geração sonora electrónica. Do theremin a computadores portáteis, tocam um vasto espectro de instrumentos digitais e analógicos, utilizando numerosos tipos de interfaces instrumentais. Desta maneira, a sua música move-se através de uma larga variedade de mundos sonoros, mas, ao mesmo tempo, revela um carácter individual marcante que corre ao longo da suas peças.

O grupo MONOPASS foi fundado em 2018, com Oxana Omelchuk, Luís Antunes Pena, Mark Polscher, e Florian Zwissler, e encontra-se sediado em Colónia, na Alemanha. A sua primeira aparição pública foi no programa de rádio Stromiline - Studio elektronische Musik, na rádio alemã WDR3.

Este evento conta com o apoio do Goethe-Institut Portugal.

Entrada livre. Reserva obrigatória para lisboaincomum@gmail.com.

É obrigatório o uso de máscara ou viseira para acesso e permanência nos concertos.

Mark Polscher é compositor e performer. Estudou com Joe Mubare e Karlheinz Stockhausen. O seu catálogo inclui obras para orquestra, coro, teatro musical, música de câmara e música electrónica pura, bem como instalações sonoras. Devido à sua vasta experiência como músico de teatro e realizador, muitas das suas obras são concebidas como performances de música electrónica. O seu setup inclui sintetizadores analógicos e equipamento de acompanhamento digital.

Oxana Omelchuk nasceu na Bielorrússia, e completou os seus estudos em composição com Johannes Fritsch e Michael Beil em Colónia. Oxana estreou diversas peças em festivais como Eclat, Wien Modern, Musikprotokoll Graz, Outono em Varsóvia, e ganhou várias bolsas e prémios como o Bernd-Alois-Zimmermann-Stipendium ou a Residência na Villa Aurora Los Angeles. Em 2016, foi selecionada para a publicação do CD (com obras suas), da parte do Conselho Alemão da Música.

Luís Antunes Pena estudou composição na sua cidade natal de Lisboa antes de se mudar para a Alemanha, de modo a continuar os seus estudos em composição instrumental e electrónica na Universidade de Artes Folkwang, com Nicolaus A. Huber e Dirk Reith. Luís desenvolveu um modelo composicional, tanto para a música instrumental como electrónica, baseado no ruído, ao qual chamou consciência da incerteza. Publicou dois CD's, Caffeine e Terrains Vagues (Wergo).

Florian Zwissler vive e trabalha como compositor e músico em Colónia. Depois de estudar musicologia, linguística e filosofia em Tübingen e Colónia, mudou-se para Essen para estudar composição electrónica. O foco da sua obra é a performance ao vivo, com sintetizadores analógicos e teclados electrónicos. Florian trabalha como diretor de som com numerosos ensembles, e colabora com vários jornais profissionais. É professor universitário ativo.




Florian, Mark, Oxana, Luís © Foto: Katja Teubner





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Residência Artística DME - Seia 2021

MIMA - Mostra Inter-Escolas de Música