Quem Somos







[PT] O Festival DME - Dias de Música Electroacústica - existe desde 2003. Desde então, desenvolve uma intensa actividade de criação, programação e formação na área da música erudita contemporânea e electroacústica. Com direção artística de Jaime Reis, teve a sua primeira edição na Polónia, mas a sua sede é em Seia, na Serra da Estrela, onde também reside o Ensemble DME, que conta com 2 CD’s editados. Desde 2017, o Festival DME ganhou uma nova casa, o Lisboa Incomum, fundado pelo seu director artístico. Desde então, o programa de residências artísticas desenvolve-se em paralelo nestas duas cidades. Apesar da actividade do festival se desenvolver maioritariamente em Portugal, foram realizadas ações de internacionalização em três continentes - América do Sul (Brasil e Colômbia), Ásia (China, Coreia, Filipinas e Japão) e Europa (Espanha, França, Itália, Mónaco, entre outros).
O Festival DME é um projecto financiado pela Direcção-Geral das Artes / Ministério da Cultura. Apoios: Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos de Música e Dança (INET-md), Câmara Municipal de Seia, Collegium Musicum - Conservatório de Música de Seia, Lisboa Incomum.

________________________________

[EN] Festival DME - Dias de Música Electroacústica - had its first edition in 2003. Since then, it has developed an intense activity of creation, programming and education in the contemporary art music and electroacoustic fields. Under the artistic direction of Jaime Reis, its first edition took place in Poland, but the festival is based in Seia, close to Serra da Estrela, where the Ensemble DME also resides, with 2 published CD’s. Since 2017, festival DME has a new home - Lisboa Incomum - founded by its artistic director. Now, the artist-in-residence takes place continuously in both cities - Seia and Lisbon. Although the festival’ acts mainly in Portugal, it has travelled through three continents - South America (Brazil and Columbia), Asia (China, Korea, Philippines and Japan) and Europe (Spain, France, Italy, Monaco, among others).
Festival DME is funded by Direcção-Geral das Artes / Ministério da Cultura.
Supported by Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos de Música e Dança (INET-md), Câmara Municipal de Seia, Collegium Musicum - Conservatório de Música de Seia, Lisboa Incomum.


 
Equipa
 

Jaime Reis 
Director Artístico


|PT| Jaime Reis (n. 1983) é um compositor português.
Estudou Composição e Música Electroacústica com João Pedro Oliveira, Emmanuel Nunes e K. Stockhausen. Continuou os seus estudos de doutoramento na Universidade Nova de Lisboa em Etnomusicologia.
O pensamento musical de Jaime Reis é informado pelo seu grande interesse pela investigação em ciências naturais e pela sua permanente atenção às tradições musicais - e, de facto, espirituais - asiáticas.
Um dos seus focos é a dinâmica das formas, forças e fluxos em música. Explora percursos polifónicos espaciais através de sistemas de som imersivos em forma de cúpula.
Outra característica marcante da sua música é a presença de conceitos complexos que sustentam a construção das suas peças, muito embora não distraindo o ouvinte da sua beleza sensível. As ideias funcionam como funções ocultas que, apesar do seu rigor intelectual, geram formas musicais voluptuosas.
Jaime Reis é professor de Composição e Música Electroacústica na Escola Superior de Música de Lisboa (ESML) e investigador no Instituto de Etnomusicologia da Universidade Nova de Lisboa. É director artístico do Festival DME e do Lisboa Incomum, que desenvolvem uma intensa actividade de investigação e criação de música erudita contemporânea.
A sua música foi tocada em todo o mundo por ensembles e músicos como Christophe Desjardins, Pierre-Yves Artaud, Aida-Carmen Soanea, Ana Telles, ensemble Fractales, Ensemble Horizonte, Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, Machina Lírica, Orchestre de Flûtes Français e Aleph Gitarrenquartett.

Monika Streitová, flautista e Professora na Universidade de Évora
in jaimereis.pt; última actualização: Maio 2020


|EN| Jaime Reis (b. 1983) is a Portuguese composer. 
He studied Composition and Electroacoustic Music with João Pedro Oliveira, Emmanuel Nunes and K. Stockhausen. He continued his PhD Studies at Nova University  in Ethnomusicology.
Reis’ music is informed by both his keen interest in cutting-edge research in the natural sciences, and his abiding attention to Asian musical - and indeed spiritual - traditions.
One of his focuses is the dynamics of forms, forces and fluxes in music. He explores spatial polyphonic paths through dome-shaped immersive sound systems.
Another striking feature of his music is the presence of fairly complex concepts which underpin the construction of his pieces, whilst not in any manner distracting from their sensible beauty.  Ideas work as hidden functions which, their intellectual rigour notwithstanding, generate voluptuous musical forms.
Reis is Professor of Composition and Electroacoustic Music in the Lisbon College of Music (ESML), and a researcher at the  Nova Institute of Ethnomusicology. He is the artistic director of Festival DME and of Lisboa Incomum, both of which develop an intense activity of research and creation in contemporary music.   
His music has been performed worldwide by ensembles and musicians such as Christophe Desjardins, Pierre-Yves Artaud, Aida-Carmen Soanea, Ana Telles, Ensemble Fractales, Ensemble Horizonte, Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, Machina Lírica, Orchestre de Flûtes Français and Aleph Gitarrenquartett.  

Monika Streitová,  flutist and Professor at the University of Évora
retrieved from jaimereis.pt; last update: May 2020




Mariana Vieira
Directora de Produção

|PT| Mariana Vieira (Sintra, 1997) é uma compositora baseada em Lisboa.
Concluiu a licenciatura em Música – Composição na Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou com os compositores Carlos Caires e Jaime Reis. Frequenta actualmente o Mestrado em Ensino de Música na mesma instituição. 
As suas peças foram apresentadas em festivais como Young Euro Classic (Alemanha), Crossroads (Áustria), Monaco Electroacoustique (Mónaco), e Aveiro_Síntese, Festival Itinerante de Percussão e Música Viva (Portugal).
Em 2017, venceu o European Composer Award com a peça “Raiz”, uma encomenda da Jovem Orquestra Portuguesa, que teve a sua estreia na Konzerthaus de Berlim.
Participou em workshops e masterclasses com compositores como Åke Parmerud, Annette Vande Gorne e Bernard Fort.
Interessa-se pela produção de projectos artísticos, trabalhando nesta área paralelamente à sua actividade enquanto compositora. É directora executiva do Festival DME – Dias de Música Electroacústica e do Lisboa Incomum, projetos que desenvolvem actividade de criação, programação e formação na área da música erudita contemporânea e electroacústica. 
É presidente da associação EMSCAN, com a qual desenvolve maioritariamente projectos educativos que aliam música e tecnologia, como é o caso do projeto “21 Peças do Século XXI” (2017).


|EN| Mariana Vieira (Sintra, 1997) is a composer based in Lisbon.
She completed his degree in Music - Composition at the Escola Superior de Música de Lisboa, where she studied with composers Carlos Caires and Jaime Reis. He currently attends the Master in Music Teaching at the same institution.
Her pieces were presented at festivals such as Young Euro Classic (Germany), Crossroads (Austria), Monaco Electroacoustique (Monaco), and Aveiro_Síntese, Festival Itinerante de Percussão e Música Viva (Portugal).
In 2017, she won the European Composer Award with the piece “Raíz”, a commission from the Young Portuguese Orchestra, which had its debut at the Konzerthaus in Berlin.
Mariana participated in workshops and masterclasses with composers like Åke Parmerud, Annette Vande Gorne and Bernard Fort.
She is interested in the production of artistic projects, working in this area in parallel with his activity as a composer. She is executive director of Festival DME - Electroacoustic Music Days and Lisboa Incomum, projects that develop creative, programming and training activities in the area of ​​contemporary classical and electroacoustic music.
Mariana is president of the EMSCAN association, with which she mainly develops educational projects that combine music and technology, as is the case of the project “21 Pieces of the 21st Century” (2017).




Francisco Rosa
Produção 

|PT| Francisco Plantier Rosa nasceu em 2000 e iniciou os seus estudos musicais com 4 anos no Conservatório Regional do Baixo Alentejo. Entrou na Banda da Sociedade Recreativa e Filarmónica 1° de Janeiro de Castro Verde, no eufónio, instrumento no qual concluiu o 8°grau, participando em várias masterclasses, cursos e estágios de orquestra. Estudou composição com Roberto Pérez, antes de ingressar na ESML, onde estudou composição com Carlos Fernandes, e atualmente estuda com Jaime Reis e Carlos Caires. Foi selecionado para participar no Festival Internacional de música de Livorno, sob orientação de Stefano Gervasoni e Marco Liuni, e tem participado em masterclasses, conferências e colaborado com Luigi Abbate, Christopher Bochmann, Åke Parmerud, Mario Pagotto, Annette Vande Gorne, Thomas Adés, Luís Antunes Pena, Ensemble Neon, Ensemble mosaik, Duo Contracello e Kaija Saariaho. A sua música tem sido apresentada nos Reencontros de Música Contemporânea, Festival de Música de Livorno, Universidade de Évora, entre outros. Paralelamente, também se dedica à direção de orquestra, participando em cursos com Roberto Pérez, Felix Hauswirth, e Shawn Smith. 


|EN| Francisco Plantier Rosa was born in 2000, and started his musical studies with 4 years at Conservatório Regional do Baixo Alentejo. He entered the Band of the Sociedade Recreativa e Filarmónica 1° de Janeiro de Castro Verde, as a euphonium player, concluding the 8th grade in that instrument, participating in various masterclasses and orchestra courses. He studied composition with Roberto Pérez, before entering ESML, where he studied with Carlos Fernandes, and now studies with Jaime Reis and Carlos Caires. He was selected to participate at the Livorno International Music Festival, working with Stefano Gervasoni and Marco Liuni, and has been participating in masterclasses, conferences and collaborating with Luigi Abbate, Christopher Bochmann, Åke Parmerud, Mario Pagotto, Annette Vande Gorne, Thomas Adés, Luís Antunes Pena, Ensemble Neon, Ensemble mosaik, Duo Contracello and Kaija Saariaho. His music has been presented at the Festival Reencontros de Música Contemporânea, Livorno International Music Festival, Évora University, Lisboa Incomum, among others. He also dedicates to conducting, participating in courses with Roberto Pérez, Felix Hauswirth and Shawn Smith.




Maria Inês Pires
Produção 

|PT| Maria Inês Pires frequenta o Doutomento em Ciências Musicais Históricas da Unidade NOVA de Lisboa (FCSH NOVA). É licenciada em saxofone e mestre em Ensino de Música pela ESART, (Castelo Branco). Estudou no Pôle d'Enseignement Supérieur Musique et Danse de Bordeaux, na classe de Marie-Bernadette Charrier. Em 2014, obteve o prémio Melhor Intérprete no concurso interno do CRCB, alcançou o 2º prémio no Concurso Nacional de Clarinete e Saxofone Sons de Cabral e foi finalista do Concurso Internacional de Saxofone Vitor Santos. Participou no 17º e 18º World Saxophone Congress, em Strasbourg e Zagreb. Em 2017 e 2019, estreou peças de jovens compositores portugueses no Festival Mónaco Electroacoustique. Frequentou masterclasses com Jean-Marie Londeix, Claude Delangle, Vicent David, Lars Mlekusch, Christophe Grèzes, Jean-Michel Goury, Marcus Weiss, Andrés Gomis, entre outros.


|EN| Maria Inês Pires is a PhD student of Historical Musical Studies at NOVA University of Lisbon. She finished her bachelor’s degree in Saxophone and her master’s degree in Music Pedagogy in ESART (Castelo Branco). She studied at the Pôle d'Enseignement Supérieur Musique et Danse de Bordeaux, in the saxophone and contemporary chamber music class of Marie-Bernadette Charrier. In 2014, she won the Best Performer Award in the CRCB Internal Competition, she reached the 2nd Prize in the Cabral National Clarinet and Saxophone Competition and she was a finalist in the Vitor Santos International Saxophone Competition. She participated in the 17th and 18th World Saxophone Congress in Strasbourg and Zagreb. In 2017 and 2019, she premiered pieces by young Portuguese composers at the Monaco Electroacoustique Festival. She attended masterclasses with Jean-Marie Londeix, Claude Delangle, Vincent David, Lars Mlekusch, Christophe Grèzes, Jean-Michel Goury, Marcus Weiss, Andrés Gomis, among others.




Marta Domingues
Produção

|PT| Marta Mendes Pereira Domingues (2000) frequenta a licenciatura em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa, tendo estudado com Jaime Reis, Carlos Caires e atualmente com Carlos Marecos.
Frequentou masterclasses e conferências com compositores como: Åke Parmerud, Panayiotis Kokoras, Annette Vande Gorne, João Pedro Oliveira, Robert Normandeau, Mario Mary, Hans Tutschku e Kaija Saariaho. 
Marta desenvolve projectos educativos integrando a associação EMSCAN e, como compositora e membro fundador, o Forward Electroacoustic Music Ensemble (FEME-EMSCAN) desde 2016, tendo sido recebido o primeiro prémio Jovens Criadores 2017, na secção musical. É membro do Laboratório de Música Mista José Luís Ferreira (ESML). As suas peças têm sido apresentadas em eventos como: Festival DME / Lisboa Incomum, Música Viva/ Oculto d’Ajuda, Aveiro Síntese, BoCA – Biennal of Contemporary Arts/ Teatro São Carlos e Monaco Electroacoustique (2017 e 2019). A sua peça acusmática Yliathim foi selecionada para o festival Sonorities Belfast 2020 no Sonic Arts Research Centre (SARC) e ainda premiada com uma menção honrosa no concurso Métamorphoses da Influx, sendo posteriormente editada no CD Métamorphoses 2020. 


|EN| Marta Mendes Pereira Domingues (2000) studies Music Composition at Escola Superior de Música of Lisbon, having studied with Jaime Reis, Carlos Caires and currently with Carlos Marecos.
She attended masterclasses and conferences with composers such as: Åke Parmerud, Panayiotis Kokoras, Annette Vande Gorne, João Pedro Oliveira, Robert Normandeau, Mario Mary, Hans Tutschku and Kaija Saariaho.
Marta develops educational projects, integrating  the the EMSCAN association and as a composer and founding member, the Forward Electroacoustic Music Ensemble (FEME-EMSCAN) since 2016, having received the first prize Young Creators 2017, in the musical section. She is a member of the José Luís Ferreira Mixed Music Laboratory (ESML). Her pieces have been presented in events such as: Festival DME / Lisboa Incomum, Música Viva / Oculto d’Ajuda, Aveiro Síntese, BoCA - Biennal of Contemporary Arts / Teatro São Carlos and Monaco Electroacoustique (2017 and 2019). Her acousmatic piece Yliathim was selected for the Sonorities Belfast 2020 festival at the Sonic Arts Research Center (SARC) and was also awarded an honorable mention in the Influx's Metamorphoses contest, which will be later published on the CD Métamorphoses 2020.










Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Residência Artística DME - Seia 2021

MIMA - Mostra Inter-Escolas de Música

MONOPASS